Queimados ganha Feira do Artesão permanente

QUEIMADOS - A Secretaria de Cultura de Queimados lançou no último sábado (23/08), na Praça Nossa Senhora da Conceição, a 1ª Feira do Artesão Permanente da cidade na histórica Praça Nossa Senhora da Conceição. Mais de 40 artesãos e artistas locais participaram do evento que contou ainda com a participação especial dos grupos de capoeira, Jiu-Jítsu e da única folia de reis de Queimados, a Boas Novas de Belém que fechou o evento com chave de ouro, mostrando uma das mais tradicionais culturas ainda vivas na cidade. A feira será montada na Praça todos os sábados, das 9h às 14h.

Resgatar e manter tradições culturais na cidade, esta é a missão dada pelo prefeito Max Lemos ao seu secretário de cultura, Marcelo Lessa que tem cumprido o pedido do prefeito à risca. “Já conseguimos trazer para a cidade o concurso nacional de quadrillhas juninas, que aconteceu no mês de julho, onde recebemos mais de 16 estados brasileiros na cidade, agora estamos trazendo à luz toda a arte e cultura dos nossos artesãos e nossa missão não para por aí. Vamos fazer nosso festival de teatro agora em setembro e janeiro teremos o encontro de folias de reis aqui na cidade. Temos uma cultura rica e um povo muito criativo. O queimadense tem o seu valor”, destacou Lessa.

A presidente da associação de artesãos de Queimados (adparques), Neurizete da Silva, explica que para participar da feira é importante participar da reunião que irá acontecer na próxima 5ª, às 16h na igreja Nossa Senhora da Conceição, Avenida Marinho Hemetério de Oliveira, s/n, Centro, em frente ao Cemitério Central. “Não exigimos cadastro na associação, mas como somos a única instituição regulamentada, fica mais fácil para conseguirmos encampar projetos com o apoio do poder público se estivermos representatividade junto aos artesãos da cidade. Por isto, a adesão é de suma importância porque a união faz a força”, enfatizou Neurizete.

Artesanato - profissão que gera grandes renda

Paulo José, 35 anos é marceneiro, serralheiro e ourives, mas foi com o artesanato de entalhe na madeira que se encontrou como profissional. Com uma renda de mais de R$ 4 mil reais, ele não troca de profissão por nada. “Tenho minha própria oficina na Estrada Carlos Sampaio, Centro, Queimados e tantas encomendas que nem tenho tempo de sair de casa para vender. Essa exposição aqui aos sábados será muito boa para manter meu nome no mercado”, conta José que já está no ramo há 5 anos.

Como o evento também teve a intenção de comemorar o Dia do Folclore que foi na sexta (22/08), o secretário achou por bem, apresentar outras atividades culturais e seus destaques como a tradição na capoeira que passou de irmão para irmão. Diego Pimentel de 3 aninhos já da suas primeiras gingadas e a mãe Jaciara Pimentel fica orgulhosa com o desempenho do pequeno. “A capoeira ensinou disciplina e respeito ao próximo aos meus filhos. Gostei muito dessa ajuda. O trabalho dos mestres fundamental nessa formação”, destacou Jaciara. Os pequenos também reinaram no Jiu-Jítsu e na Folia de Reis, mostrando a nova geração que irá perpetuar a cultura brasileira.


Via PMQ
26/08/2014

0 comentários :

Postar um comentário