VII Conferência Municipal de Saúde de Queimados estabelece propostas de políticas púbicas

QUEIMADOS - Último dia de evento definiu os órgãos que irão indicar seus representantes para a eleição do Conselho Municipal de Saúde

Palestras de profissionais de saúde e gestores da área, formação de grupos de trabalho para estabelecer propostas de acordo com temas pré-selecionadas e a eleição dos órgãos que farão parte do Conselho Municipal de Saúde de 2015 e 2017. Foi assim a VII Conferência Municipal de Saúde de Queimados, realizada de sexta-feira a domingo, 05 a 07 de dezembro, no Teatro Municipal. Com objetivo de propor melhorias nas políticas públicas de saúde com a participação da população, o evento sob o tema “Saúde Pública de Qualidade para cuidar bem das pessoas. Direito do povo Queimadense” contou com mais de 200 pessoas, entre elas usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), profissionais de saúde, atuais conselheiros municipais e gestores.

Durante a abertura da conferência, o prefeito Max Lemos falou sobre os investimentos na área da saúde e importância dos debates para avançar ainda mais na melhoria de políticas públicas. “Vamos investir cada vez mais na área da Saúde. No próximo ano vamos ter mais 12 unidades básicas de saúde, que inclui novas Estratégias de Saúde da Família (ESFs), a Clínica Especializada no Atendimento à Mulher, no bairro Fanchem, e transformar a única maternidade da cidade, a Bom Pastor, em uma unidade da rede municipal. Espero que dessa conferência possamos tirar soluções de forma transparente com a participação popular”, disse ao adiantar também sobre a Clínica do Trabalhador que será uma unidade de atendimento para os funcionários das empresas instaladas no Distrito Industrial: “Estamos buscando parcerias com a iniciativa privada para a construção da Clínica do Trabalhador. Lá, os funcionários das empresas vão poder fazer consulta médica de rotina e até exames. Será uma unidade que vai dar mais qualidade de vida ao trabalhador”, disse. 
A secretária municipal de Saúde, Drª Fátima Cristina, falou sobre a importância de discutir de forma sadia as melhorias na rede de saúde. “Esse será um espaço para que possamos contribuir para melhorar ainda mais a política pública do município. Vamos nos dividir em grupos de trabalho e temas específicos para elaborar as propostas. Após aprovadas essas propostas, vamos implantá-las no próximo ano. Com a troca de experiências podemos chegar a um consenso para o benefício da população”, comentou. 

O segundo dia de conferência contou com as palestras “Atenção à Saúde da Mulher e do Homem, por uma Saúde Pública de Qualidade” e “Importância do Fortalecimento do Controle Social”, pela coordenadora da Comissão Intersetorial de Saúde da Mulher (CISMU) e integrante do Conselho Nacional de Saúde, Maria do Espírito Santo (Santinha), “Rede de Atenção Psicossocial”, pela psicóloga e especialista em Saúde Mental, Lúcia Pontes, e a “Importância da Transparência do Financiamento na Saúde”, pela sub-procuradora do município, Drª Dulcinéa Macieira. Após as palestras foram formados os quatro grupos de trabalhos que seguiram os respectivos temas dos palestrantes.
Já no domingo (07), foram apresentadas as propostas pelos grupos para aprovação. Entre as mais das 20 propostas estabelecidas, estão: a capacitação continuada dos profissionais da rede de atendimento, intensificar assistência à saúde mulher, remodelação do portal da transparência e a criação do setor de auditoria de acordo com legislação vigente. No final da tarde foi realizada a plenária para definir os 20 órgãos que irão indicar seus representantes para o Conselho Municipal de Saúde. A eleição será realizada em janeiro de 2015. As 20 vagas de conselheiros serão divididas por segmentos, sendo 10 destinadas para sociedade civil, 5 para profissionais de saúde e 5 para gestores.



Via PMQ
10/12/2014

0 comentários :

Postar um comentário