Crianças de Queimados dizem não às drogas

QUEIMADOS - Quase 800 alunos da rede municipal de ensino de Queimados, do 5º ano (10 a 12 anos), disseram não às drogas com seus certificados em mãos durante a formatura do Programa Educacional de Resistência às Drogas (Proerd) nesta quarta-feira, dia 08, no Ginásio Metodista. O programa da Policia Militar do Rio de Janeiro (PMERJ), que funciona em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, atuou em 27 turmas no total de 15 escolas. Com policiais voluntários que fortalecem as atividades didáticas, o Proerd ensina aos alunos a importância de ficar longe das drogas, do crime e da violência. 

Durante a abertura do evento, o secretário municipal de Fazenda e Planejamento, Carlos Vilela, representando o prefeito Max Lemos, falou da iniciativa do programa e de sua importância na formação de futuros cidadãos. “A droga é um mal do século que destrói famílias inteiras. Além disso, elas financiam cada vez mais a violência e o tráfico. A parceria com Policia Militar é fundamental para formar o caráter de futuros cidadãos. O prefeito Max Lemos é um gestor comprometido e sabe que a educação das nossas crianças é a base para formar nossos futuros cidadãos”, afirmou. 

A secretária municipal de Educação, Miriam Motta, falou da importância do diálogo com os alunos e a confiança deles nos agentes que dão aulas fardados. “O Proerd é uma prevenção contra as drogas e a violência. A melhor arma contra isso é a educação. Temos que valorizar o trabalho do diálogo com as crianças e mostrá-las o caminho certo a ser seguido. Quando um policial entra na sala, os alunos olham admirados e respeitam porque sabem que ali está presente uma autoridade. Eles se sentem protegidos e passam a confiar no instrutor, abrindo espaço para o diálogo”, comentou. 

Diálogo como método de prevenção 

A idéia do programa surgiu nos Estados Unidos em 1983, na cidade da Califórnia, quando o Departamento de Policia de Los Angeles (LAPD) adotou o método de palestras e diálogos com menores de idade em um ambiente escolar em que a prevenção seria a melhor arma contra o abuso de drogas e prática de delitos. A estratégia policia americana deu resultados positivos e foi passada para demais países até chegar ao Brasil, em 1992, implantado pela PMERJ

Os policiais instrutores do programa passam por um processo de seleção e recebem um treinamento especial, que inclui habilidades de comunicação e noções de técnicas de ensino. Além de aulas de psicologia, eles participam ainda de dinâmicas de grupo e trabalham as relações interpessoais. Para o representante do 24º Batalhão da Polícia Militar (BPM), o tenente Francisco Cláudio de Barros falou sobre a parceria com Prefeitura para efetividade do programa. “No combate às drogas, precisamos de parcerias que dão efetividade ao programa. A abertura do espaço escolar para que os policiais atuem é de grande importância para atingir o maio número possível de crianças. O objetivo é conscientizá-las do perigo das drogas, do cuidado com as más companhias e de sempre conversar com os pais quando souber de uma atitude suspeita”, disse.

Com a presença de professores, diretores e familiares, o evento contou ainda com a premiação das melhores redações sobre drogas das 27 turmas do programa. Eleita a melhor redação, a aluna da Escola Municipal Metodista, Juliana Belamiro, comemorou a medalha. “Foi muito legal participar das aulas. Os instrutores deram muitos conselhos importantes e falaram para ficar longe de más companhias”, disse. 

Na ocasião, a secretária Miriam Motta homenageou os instrutores do Proerd do 24º BPPM: o tenente Francisco Cláudio de Barros, sargento Marcos Rogério Souza e a soldado Meire Hellen Carvalho. A formatura ainda teve a apresentação do Coral Municipal das Escolas Leopoldo Machado e Scintila Excel. E para não deixar ninguém parado, os pequenos ainda aproveitaram show de hip-hop do grupo de dança da Escola Municipal Santo Expedito.

Via PMQ
09/07/2015

0 comentários :

Postar um comentário