Queimados vai ganhar Casa do Artesão

QUEIMADOS - Mesmo com um calor que se aproximou dos 40° na Baixada Fluminense, para muitos, nada de passeios às praia ou piscinas que são peculiares aos dias de sol forte na região. O encerramento da 1ª Feira de Artesanato, Cultura e Gastronomia recebeu cerca de três mil pessoas durante todo domingo (20), no Ginásio Municipal Metodista, em Queimados. Foram três dias de festa que mobilizaram cerca de 200 artesãos e atraíram, ao todo, mais de 10 mil pessoas. Aproximadamente cinco mil peças artesanais estavam à disposição do público, que ainda assistiu a shows musicais e participou de oficinas artesanais. Entre compras e vendas, a boa notícia veio do Prefeito Max Lemos que anunciou para 2016 a construção da Casa do Artesão na cidade.

Segundo o Prefeito Max Lemos, uma parceria da Prefeitura com o Governo do Estado, vai rendar à cidade um espaço especial para os profissionais do artesanato. O local que abrigará a Casa do Artesão já foi escolhido e ficará na Praça Armando Ferrão, próximo à antiga delegacia. “Mais importante que o resultado financeiro de cada um na feira, é a consolidação do artesão na cidade. O novo espaço terá três andares para uso exclusivo dos artesãos. Vão fazer suas exposições, cursos e vendas em um local especial para eles. O projeto está sendo feito e em 2016 devemos começar as obras”, disse.

E quem estava a procura de bons produtos e preços baixos não se importou com o calor que fez no Ginásio Metodista neste fim de semana. O exemplo foi Dona Maria Antônia (54), que reuniu a família e encarou o sol quente para conhecer a feira de Artesanato, Cultura e Gastronomia. Acompanhada da irmã Selma Barrili e dos sobrinhos Leonardo Sunada e Camila Umehara, ela visitou vários estandes e gostou do que viu. Atenta a cada detalhe, Dona Maria Antônia revelou que gosta de aventurar fazer seus trabalhos artesanais em casa: “Nós arriscamos em fazer alguma coisa. Mas aqui está bem legal. A gente olha, compra e aproveita pra fazer em casa também. Não é pecado copiar coisas boas”, disse.

O clima quente, não foi maior que a emoção. Afinal, a realização da Feira é a concretização de um sonho antigo das profissionais. “Foi com muita luta que conseguimos este espaço. Tanto artesãos, com a população estão felizes com este momento”, disse. Outro que estava eufórico era o secretário municipal de Cultura, Marcelo Lessa. “Parabéns a todas as pessoas que fizeram este evento ser um sucesso. Obrigado ao programa Artesanato em Movimento, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca por esta parceria que está mudando a vida de centenas de famílias. E também ao Prefeito Max Lemos por toda dedicação para este grande evento”, ressaltou.

“Boas notícias”



Já contando os lucros, a artesã Catarine Nogueira (38) estava radiante com a organização da Feira. Ela que há dez anos faz bolsas, porta-lenço, porta-óculo, entre outras dezenas de objetos, em tecido e feltro, garantiu ter superado as expectativas: “Graças a Deus deu tudo certo. Recebemos bastante pessoas e a venda foi superior ao que imaginava, já que foi a primeira feira, né”, disse. Além de vender, o evento serviu para a artesã aumentar sua visibilidade: “Entregue muitos cartões e nas redes sociais, onde coloco meus materiais, aumentaram as solicitações e visitas. Para mim foi muito produtivo”, destacou.

0 comentários :

Postar um comentário