Transformação na porta de casa

QUEIMADOS - Prefeitura dá inicio a pavimentação de antiga servidão que era cheia de mato e por onde passava um valão. Obra inclui mais de um quilômetro de asfalto e faz parte do projeto de canalização e urbanização do Rio Camorim

Abrir a porta de casa e dar de cara com a transformação. A cena foi vivida pela manicure Tatiana Rodrigues e seus vizinhos na manhã desta quarta-feira (01) que olharam de perto o início da pavimentação da Travessa Sônia Maria Correa, no bairro Vila Camarim, em Queimados. O trecho, que faz ligação da Avenida Hernani até a Rua Fluminense (beira do Rio Camorim), também já conta com uma rede de saneamento de esgoto e passeio público. As Ruas Fluminense e Luigi Giobbi, ambas às margens do afluente, também serão pavimentadas até sexta-feira, dia 03.
Com o pequeno Miguel no colo, de 02 anos, Tatiana falou da transformação onde mora há 30 anos. “Convivíamos com matagal e com esgoto a céu aberto bem em frente de nossas casas As crianças não podiam brincar tranquilamente, porque corriam o risco de pegar doenças de ratos e insetos. Graças a Deus nossa rua foi totalmente transformada. Com saneamento e asfalto, agora meus filhos já podem brincar seguros”, comentou a manicure, que trabalha em casa para tomar conta do filho. 

Ao todo, mais de um quilômetro será pavimentado somando as três vias do bairro. As obras fazem parte do projeto de canalização e urbanização do Rio Camorim. Financiado com recursos do programa Somando Forças, no valor de mais de R$ 68 milhões, o projeto visa também prevenir as inundações na área central da cidade. “Até o fim de agosto vamos entregar a obra de canalização e urbanização do Rio Camorim. Além da pavimentação do entorno, também estamos iniciando a construção das áreas de lazer previstas no projeto, entre elas uma pista de skate na Estrada dos Caramujos”, adiantou o prefeito Max Lemos.
Trajeto facilitado

Morador do bairro Fanchem, o aposentado Sebastião Ferreira, de 67 anos, sempre passa pelo local todas as manhãs no trajeto de bicicleta até a padaria: “Moro do outro lado do Rio e sempre faço esse trajeto para comprar pão de manhã. A diferença de antes para agora é enorme. Além do perigo do esgoto a céu aberto por causa de doenças, era difícil transitar por aqui. Com rua asfaltada e o fim do valão de esgoto é bem mais seguro pra pedalar”, disse.

Além da ciclovia e pista de caminhada, o projeto prevê ainda quatro áreas de lazer (duas praças, pista de skate e quadra poliesportiva), canalização de dois quilômetros de rio, quatro quilômetros de saneamento da rede de esgoto e construção de uma ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) com capacidade para atender 5 mil domicílios, além da construção de meios-fios, pavimentação, implantação de iluminação pública do entorno.

Via PMQ
02/06/2016

0 comentários :

Postar um comentário