Adolescente é sequestrado em Queimados

QUEIMADOS - O misterioso desaparecimento de um adolescente está mobilizando policiais civis do setor de Busca de Paradeiros da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF). Douglas de Jesus Neves, de 17 anos, foi visto pela última vez na manhã do dia 14 de julho, quando saía do bairro Fanchem, em Queimados, para ir trabalhar vendendo amendoim em postos de combustíveis de Nova Iguaçu. Outro menor de idade que estava com Douglas foi encontrado no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Posse, com ferimentos de tiros, e pode ser a principal pista para ajudar a encontrar os responsáveis pelo sumiço de Douglas.

Segundo as investigações, quando os dois amigos saíram de um condomínio do Programa Minha Casa, Minha Vida, no bairro Fanchem, e seguiam de bicicleta para o ponto de ônibus, homens armados e encapuzados os sequestraram e os levaram para um lugar desconhecido. Lá, os bandidos os colocaram sentados à beira de um barranco com cerca de quatro metros de altura e apontaram uma pistola da cabeça de Douglas.

Vendo que seria morto, numa manobra arriscada o outro menor pulou o barranco e foi alvo de tiros disparados pelos criminosos. Ele conseguiu fugir para dentro do mato. Ele ficou escondido até o amanhecer do dia seguinte, quando pediu ajuda aos moradores da localidade que, segundo ele, fica na Estrada de Adrianópolis, em Nova Iguaçu. Ele foi encaminhado para o Hospital da Posse, onde foi medicado e liberado.

Pai tem esperança de encontrar filho com vida

De acordo com o pai do jovem desaparecido, que preferiu não se identificar, seu filho Douglas possui passagem na Polícia por tráfico de drogas, mas já cumpriu a pena numa casa de detenção para menores e está em liberdade há seis meses. Ele disse ainda que o filho “está trabalhando e que não tem se envolvido mais com pessoas erradas”. “Eu espero encontrar meu filho vivo. Acredito que ele também tenha saído dessa. Já o procurei em várias delegacias e hospitais, mas não o encontrei. Além disso, fui a muitos lugares onde falaram que poderia o encontrar, caso ele tivesse sido morto, por isso acredito que ele ainda esteja vivo”, disse.

Agentes da DHBF ouviram o menor sobrevivente e estão tomando depoimento de testemunhas com a finalidade de juntar as informações para chegar aos responsáveis. Caso alguém tenha informações que ajudem a localizar o menino desaparecido, é possível entrar em contato com o Disque-Denúncia no número 2253-1177 ou no telefone da DHBF: 27796692.

Via Jornal de Hoje
21/07/2016

0 comentários :

Postar um comentário