Homem é agredido por enfermeiro na UPA 24h de Queimados

QUEIMADOS - O estudante de direito Wallace Correia, de 30 anos, foi agredido nesta quinta-feira (30) por um enfermeiro da Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) de Queimados, ao reclamar da falta de atendimento. O vídeo da agressão foi enviado ao WhatsApp do Jornal Extra.

Por volta das 21h30min, o morador do bairro Paraíso, um dos poucos que possuem carro, foi chamado por vizinhos para socorrer um menino de 13 anos que estava com o rosto inchado e sentido dores de cabeça. Segundo Wallace, a mãe do adolescente não sabia a causa das dores do filho e por isso se dirigiram à UPA 24h de Queimados. Ao chegar na unidade, o estudante informou que funcionários impediam a entrada dos pacientes alegando que não havia atendimento por falta de pagamento de salários.

— Entrei na UPA e vi uma senhora sentada, olhando uma revista, que disse para procurarmos outro lugar, pois o menino não seria atendido — conta Wallace.

Após conversar com um dos responsáveis pela unidade, que garantiu o atendimento ao adolescente, Wallace notou que um maqueiro começou a xingá-lo de “palhaço” e “idiota”. Foi quando o estudante começou a gravar o vídeo e foi agredido pelo enfermeiro.

O soco dado pelo agressor não acertou Wallace, que não reagiu ao golpe. O estudante conta que ligou para a polícia e pediu uma viatura, pois estava sendo impedido pela equipe da UPA 24h de sair da unidade:

Wallace Correia foi agredido ao reclamar de falta de
atendimento em UPA 24h de Queimados. Foto: Reprodução
— Me levaram para uma sala da administração para tentarem me impedir de registrar queixa na delegacia. Estavam negociando comigo na frente do policial.

O caso foi registrado na 55 DP (Queimados), na noite de quinta-feira. No boletim de ocorrência Wallace Correia acusou o enfermeiro por lesão corporal e o maqueiro por injúria.
Segundo Wallace, após o ocorrido, o menino de 13 anos foi atendido e mandado de volta para casa.

A Secretaria de Estado de Saúde informa “que vai apurar a denúncia junto à coordenação da Unidade de Pronto Atendimento de Queimados, e tomar as medidas cabíveis caso seja constatado que houve agressão por parte do funcionário”.

Até o momento a Polícia Civil não se pronunciou sobre o caso.

Via Extra

0 comentários :

Postar um comentário