Queimados dá início a padronização da feira livre


QUEIMADOS - Quem passou na manhã deste domingo (28) pela tradicional feira livre de Queimados, se deparou com uma grata surpresa. Os objetos que ficavam expostos no asfalto no trecho entre os cruzamentos das ruas Georgeta e Hernani com a Avenida Tinguá agora estão disponibilizados em barracas padronizadas, garantindo assim a ampliação da largura da feira em pelo menos mais um metro. A medida faz parte do início do trabalho realizado pela prefeitura, através da Secretaria Municipal de Segurança e Ordem Pública, que visa organizar o comércio informal em toda a cidade. 

Ao todo, 65 barracas foram disponibilizadas nesta primeira etapa do processo de padronização, que será estendido pelas próximas duas semanas para todos os comerciantes da feira. O espaço conta em sua totalidade com 460 barracas, distribuídas em um trecho de quase 1 quilômetro pela Avenida Tinguá, no Centro, que recebe cerca de 5 mil visitantes a cada domingo.

De acordo com o secretário de Segurança e Ordem Pública de Queimados, Elias José, a prefeitura dará início logo após o Carnaval ao trabalho de recadastramento dos feirantes. O objetivo, segundo ele, além de regularizar a documentação dos comerciantes, será também de criar um cartão de identificação deles e das barracas. “O prefeito Carlos Vilela nos deu a missão de organizar a feira livre, tornando-a melhor para o comerciante que leva daqui o seu sustento para casa e para os visitantes que consomem no local. Por isso, pretendemos colocar bicicletários no início e no fim da feira e também banheiros químicos ao longo dela”, adiantou.

Comerciantes e visitantes aprovam a mudança

Há mais de 25 anos, seu José Ribamar Alves, de 62 anos, morador do bairro Tricampeão, trabalha vendendo ferramentas usadas na feira. A rotina dele, no entanto, não era nada fácil. Precisava literalmente madrugar para garantir seu lugar ao sol, ou melhor, no asfalto, para conseguir vender os seus produtos. “Acordava às 3h da manhã, porque não tinha lugar marcado. Era cada um por si. Agora que padronizou, além de melhorar o serviço, deixa a gente mais tranquilo para trabalhar e ganhar nosso dinheirinho”, comemorou ele, que bate ponto no local, das 7h às 14h.

Quem também aprovou as mudanças foram os visitantes do espaço, entre eles o morador do bairro Vila do Tinguá, Joilson da Silva, de 64 anos, frequentante assíduo da feira há mais de 50 anos, desde quando Queimados ainda era Distrito de Nova Iguaçu. “Ganhamos mais espaço para poder circular com mais tranquilidade. Aqui, era o pior local da feira, agora virou o modelo a ser seguido. Tem que padronizar tudo, que todos saem ganhando”, concluiu.

Texto e fotos: Felipe Carvalho
Via PMQ

0 comentários :

Postar um comentário