BAIXADA FLUMINENSE - A greve geral convocada para esta sexta-feira não afeta, por enquanto, os passageiros da Baixada Fluminense. Nas ruas de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, os maiores municípios da região, os ônibus circulam normalmente. Os trens também estão com funcionamento normal.

Em Austin, em Nova Iguaçu, a estação de trem estava cheia, mas, de acordo com moradores, o movimento é normal. A faxineira Fernanda da Silva Conceição, de 31 anos, que seguia para Copacabana, na Zona Sul do Rio, preferiu seguir de trem, apesar dos ônibus na rua.

— Me falaram que está tudo normal, mas achei melhor ir de trem — disse.

Os passageiros da SuperVia só reclamaram que a empresa está vendendo apenas um bilhete por passageiro. Ou seja, quem já tenta comprar passagem para a volta não consegue.

— Não sei informar o motivo. É uma ordem da empresa. Só podemos vender uma passagem por pessoa — declarou um funcionário da SuperVia.

Mais cedo, por volta das 5h, houve um princípio de manifestação na Rodovia Presidente Dutra, no sentido Rio, na altura de Nova Iguaçu, mas foi contido por policiais. O trânsito no local segue sem problemas.

A SuperVia informou que, no momento, o sistema de recarga está habilitando apenas uma passagem por vez. Técnicos da concessionária estão trabalhando na manutenção.

Via Extra
Pneus foram despejados e queimados na Rodovia Presidente Dutra, no sentido Rio de Janeiro Foto: Cléber Júnior
QUEIMADOS - O trânsito na Rodovia Presidente Dutra, no sentido Rio de Janeiro, foi interrompido na altura de Queimados, na Baixada Fluminense. De acordo com a CCR Nova Dutra, um caminhão despejou pneus na pista e um grupo de pessoas ateou fogo. O trânsito na via chegou a ser interrompido parcialmente. Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Corpo de Bombeiros atuaram na região.
Marcas dos pneus queimados na Rodovia Presidente Dutra, no sentido Rio de Janeiro Foto: Cléber Júnior

Apesar da ação, não há detalhes se o ato foi em protesto contra as reformas propostas pelo governo federal.

O trânsito foi totalmente liberado ao meio-dia. No momento, o tráfego segue normal nos dois sentidos da via.

Via Extra

CORREIOS - Os trabalhadores dos Correios entrarão em greve por tempo indeterminado hoje (26) a partir das 22h. As ameaças de privatização e demissões, o fechamento de agências e o "desmonte fiscal" da empresa, com diminuição do lucro devido a repasses ao governo e patrocínios, são os principais motivos para a mobilização, segundo a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect).

A estatal afirma que teve prejuízos de R$ 2,1 bilhões em 2015 e R$ 2 bilhões no ano passado. Em dezembro do ano passado, foi anunciado um plano de demissão voluntária e o fechamento de agências para reduzir os gastos. Já a Federação alega que a receita tem crescido.

“O que tem acontecido é um plano de desmonte próprio da empresa, atacando a própria qualidade e universalização do serviço. Faz parte de um projeto privado com interesse de entrar no mercado”, disse a secretária de Imprensa da Fentect, Suzy Cristiny.

Segundo a entidade, a "privatização" coloca em risco o direito da população aos serviços dos Correios, já que a empresa tem fechado agências em cidades menos lucrativas. “Mais de 200 agências estão sendo fechadas por todo o Brasil. Com isso, muitos moradores do interior e das periferias vão ficar sem o atendimento bancário e postal dos Correios do Brasil”, informou a federação.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, tem dito que é contra privatizar os os Correios, mas que a empresa terá que fazer “cortes radicais” de gastos para evitar a privatização, já que o governo não socorrerá a empresa financeiramente.

Críticas dos grevistas

Além do fortalecimento de franqueados e o fechamento de agências próprias, o que, na opinião da federação, “esvazia os negócios da empresa para a iniciativa privada”, a Fentect critica os repasses da empresa ao governo federal acima do valor estabelecido. “Nos últimos anos, os Correios repassaram para o governo federal R$ 6 bilhões e, desse montante, R$ 3,9 bilhões foram acima do valor estabelecido legalmente, prejudicando as reservas financeiras e investimentos necessários para a modernização da empresa”, informou.

A entidade cita ainda o distrato de R$ 2,3 bilhões do Banco Postal com o Banco do Brasil e a destinação de R$ 300 milhões em patrocínios nas Olimpíadas e pede uma auditoria na contabilidade da empresa.

Os sindicatos de todo o país se reúnem hoje (26) para referendar a manifestação sobre a greve. As entidades e a empresa já promoveram mesas de negociação, mas, segundo a secretária, não houve avanços. Ela disse ainda que os trabalhadores dos Correios se unirão às manifestações marcadas para a próxima sexta-feira (28) contra as reformas trabalhista e da Previdência.

Além da mobilização pelo fortalecimento institucional dos Correios e universalização dos serviços, os trabalhadores reivindicam melhorias nas condições de trabalho, a contratação de novos funcionários, mais segurança nas agências, o retorno da entrega diária e o fim da suspensão de férias.

Outro lado

Em nota, a empresa informou que, caso o movimento grevista seja deflagrado, os Correios adotarão as medidas necessárias para garantir a continuidade de todos os serviços. “Uma paralisação dos empregados neste momento delicado pelo qual passa a empresa é um ato de irresponsabilidade, uma vez que a direção está e sempre esteve aberta ao diálogo com as representações dos trabalhadores”, informou. Os Correios não se manifestaram sobre as reivindicações dos trabalhadores.

Via Agência Brasil

BAIXADA FLUMINENSE - O próximo domingo é dedicado ao santo mais popular da Igreja Católica: São Jorge. Mas a festa para o guerreiro, que também é bastante cultuado nas religiões de matrizes africanas, já começa hoje. Em Nova Iguaçu, na Paróquia Nossa Senhora de Fátima e São Jorge, no Centro, um musical irá reviver a trajetória do mártir, a partir das 21h.

O espetáculo “Jorge: alma de guerreiro" já ocorre há 14 anos no local, mas pela primeira vez será totalmente dançado. Para isso, o autor e diretor da peça, Carlos Freitas, de 36 anos, convocou 15 bailarinos.

— A história de São Jorge é a mesma, mas a gente todo ano busca uma forma diferente de contá-la. Nosso desafio também é fazer com que a história dele dialogue com os nossos dramas sociais atuais — explicou Carlos.

Em um dos momentos da encenação, os atores exibirão manchetes de jornais com dizeres sobre mortes violentas vividas recentemente no estado.

Para a procissão ao santo, no domingo, a Igreja espera que mais de cinco mil pessoas acompanhem pelas ruas do Centro da cidade. O pároco Pe. Max de Jesus, de 49 anos, ainda afirmou que a celebração marca o início das comemorações dos 60 anos da Paróquia, celebrado em outubro.

Feira de gastronomia

Do lado de fora da Paróquia de São Jorge, de Nova Iguaçu, o público vai encontrar uma verdadeira feira gastronômica. Pela primeira vez no espaço, o casal Fabrício Trevizol, de 38 anos, e Simone Trevizol, de 37, vai montar seu food truck de batata rústica, que já faz sucesso nas ruas do Rio.

— Nós somos daqui, mas é a primeira vez que vamos colocar nosso food truck na festa de São Jorge. Temos uma técnica belga na hora de fritar a batata — contou Fabrício.

As batatas do Namur Food Truck custarão a partir de R$ 15.

Quem também vai exibir seus produtos é Nilton Rodrigues dos Santos, de 56 anos. Ele está há 15 na festa do santo vendendo cocada.

— É a melhor da região. O segredo é Jesus.

Programação da região

PEÇA DE TEATRO

O espetáculo em Nova Iguaçu é gratuito. A Paróquia fica na Rua Getúlio Vargas 220, no Centro.

Nova iguaçu

No domingo, as missas ocorrem às 5h, 6h, 7h, 8h, 9h, 10h, 12h, 14h, 15h, 16h, 19h e 20h. A procissão pelas ruas do Centro será às 17h. O tradicional Angu do Guerreiro será servido de 11h às 14h.

DUQUE DE CAXIAS

As missas também começam às 5h. Depois, há uma 7h, 10h, 15h e 17h, seguida com procissão. A igreja de São Jorge fica na Praça Carlos de Laet s/n, no Jardim Gramacho.

Meriti

A procissão ao santo começa 4h30m. Às 5h, ocorre a primeira missa. As celebrações seguem às 7h, 9h e 11h. Às 17h30m, haverá uma outra procissão seguida de missa. A igreja fica na Rua José de Carvalho s/n, no bairro Vila Tiradentes.

QUEIMADOS

No domingo, serão celebradas missas de hora em hora na Comunidade Nossa Senhora Mercês e São Jorge, na Rua Berta 7, no bairro Roncador. Na cidade, ainda haverá a 39ª Festa de São Jorge no Sítio da Amizade. A entrada é gratuita e a abertura dos portões será às 6h. Haverá shows de bandas. O sítio fica na Travessa Nossa Senhora da Penha 111.

Via Extra

QUEIMADOS - N.A., 15 anos, moradora do Bloco A dos chamados Predinhos, no Bairro Valdariosa, tentou o suicídio pulando pela janela do 5º andar do apartamento onde mora, na manhã deste sábado de aleluia.

Por um milagre, a menina sobreviveu e foi socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros que a encaminhou para o Hospital da Posse.

Segundo boletim médico que recebemos ainda há pouco, às 22h 50min deste sábado, ela passa por uma cirurgia demorada e delicada, e após a cirurgia deverá ser encaminhada para a UTI.

Ela teve fratura exposta nas duas pernas e seu estado de saúde inspira cuidados.

Amanhã, domingo, 16/04, até às 10 horas da manhã, estaremos divulgando um novo boletim médico.

Circula nas redes sociais a versão, não confirmada oficialmente, de que a tentativa de suicídio teria sido motivada por um jogo da Internet chamado ‘Baleia Azul’, que tem atraído jovens de várias partes do mundo e só no Brasil já provocou três mortes, uma delas na quarta-feira passada, 12/04, de um jovem de 19 anos, no município de Pará de Minas.

Mesmo que essa versão, no caso de N. A., possa não ser verdadeira, tomamos a liberdade de alertar nossos leitores para os perigos desse jogo ‘Baleia Azul’.

Trata-se de uma brincadeira macabra feita em grupos secretos no Facebook, que incita os participantes a completar 50 desafios que levam lentamente à morte.

Ao entrar no grupo, o jogador recebe tarefas do administrador, que envia as mensagens normalmente às 4h20.

No começo, as determinações são mais simples: desenhar uma baleia em uma folha, passar a noite em claro ouvindo música triste ou vendo filme de terror.

Depois, elas vão ficando mais perigosas: os participantes são ordenados a tatuar uma baleia no braço com uma faca ou uma lâmina de barbear.

O jovem que decidir deixar o jogo antes de concluir os 50 desafios é impedido pelo curador – administrador -, que ameaça os participantes. Essa intimidação ocorre da seguinte forma: o responsável pelo grupo mostra o endereço residencial do participante e de seus familiares e declara que se ele sair do grupo, todos serão mortos.

Esse clima de terror acaba induzindo o jogador ao suicídio.

Via Portal Queimados

QUEIMADOS - O Batalhão de Choque da Polícia Mililar faz uma operação na manhã desta terça-feira (11) em Queimados, na Baixada Fluminense. As informações ainda estão desencontradas e não oficiais, mas, nas redes sociais, há manifestações de trocas de tiros em diversos bairros diferentes do município. 

Moradores do Morro da Caixa D'água, São Simão, Morro da Torre e Zenith já relataram troca de tiros. 

Algumas lojas no Centro da cidade fecharam as portas momentaneamente. Já existem relatos de óbitos.

Via Revista Queimados
Imagem Ilustrativa

QUEIMADOS - Uma carga de eletrônicos avaliada em R$ 150 mil foi recuperada e quatro homens presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), suspeitos de roubo, em uma abordagem na rodovia Presidente Dutra (BR-116), em Queimados, na Baixada Fluminense, na madrugada de quinta-feira (06).

Durante patrulhamento de rotina, as equipes táticas da polícia rodoviária federal foram alertadas sobre um roubo de carga na região e iniciaram as buscas. Em consulta verificou-se tratar de um IVECO/Tector 240E25 branco, que seguia sentido Rio de Janeiro. Logo em seguida, avistaram a carreta roubada sendo escoltada pelos bandidos num FIAT/palio, de cor cinza. Os policiais conseguiram interceptar os dois veículos e o motorista, de 28 anos, que estava de refém no caminhão, foi posto em liberdade e a carga recuperada.

Havia um jovem, de 18 anos, e outro, de 25 anos, dentro do caminhão que faziam o motorista de refém. Já no FIAT/Palio havia dois suspeitos, de 23 anos, e outro, de 19 anos. Com eles estavam dois bloqueadores de sinal. Eles ameaçaram o motorista da carreta e exigiram que os seguissem até o morro do Chapadão, onde a mercadoria seria descarregada.

A ocorrência foi encaminhada à Cidade da Polícia, no Jacaré, Zona Norte do Rio.



QUEIMADOS - Prestes a completar dois anos no comando do Eskina da Pizza, em Queimados, o empresário Enderson Reis, de 39 anos, tem motivos especiais para comemorar a data. A pizzaria é hoje um dos pontos obrigatórios de parada na cidade, chegando a receber mais de 600 pessoas nos dias de rodízio. A receita do sucesso é mantida em segredo pelo dono, mas uma delas é o formato quadrado da iguaria.

Além disso, o preço popular do rodízio (às terças-feira, custa R$ 14,99; aos domingos, R$ 16,99) ajuda a lotar o espaço.

— Eu faço questão de bater a massa da pizza todos os dias para deixá-la bem fresquinha para o cliente. Esse é um de meus segredos. Comecei com 12 funcionários, e hoje já são 43. O negócio foi crescendo muito rápido. Em três meses, eu vi que o espaço que eu tinha já não suportava meu público, e eu tive que comprar um espaço ao lado — conta Enderson, que tem a mulher, Jéssica Torres, como sócia.

O Eskina já sofreu três expansões desde a inauguração, em maio de 2015. Uma das obras foi dentro da própria casa de Enderson: metade do quintal e o terraço viraram parte da pizzaria.

Sonho é abrir mais pizzarias na cidade

Mesmo com as obras, todo o complexo montado no bairro Fanchem já não dá mais conta do tamanho da pizzaria. Aos domingos, Enderson chega a fechar a rua para poder atender todo o público.

— Por isso, quero inaugurar até junho mais uma loja, num espaço bem na entrada de Queimados. Meu sonho mesmo é ter quatro pizzarias dessas aqui na cidade — afirma.

A Eskina da Pizza fica na Rua Plinio Giosa 260, no bairro Fanchem, em Queimados. O restaurante funciona de terça-feira até domingo, sempre a partir das 18h. As entregas são feitas apenas no município, pelo telefone 97571-3639.

Via Extra
Por Igor Ricardo
O delegado analisa o tiro no retrovisor do carro que estavam com os bandidos Foto: Cléber Júnior

QUEIMADOS - A Polílcia Civil investiga se a quadrilha que fugiu de uma blitz da Lei Seca, na noite desta terça-feira, em Queimados, na Baixada Fluminense, teria praticado roubos na região de Nova Iguaçu e Seropédica antes do crime. Após o bando fugir da blitz, policiais foram em busca do grupo e houve troca de tiros. O sargento Anselmo Alves Júnior, de 37 anos, foi baleado e não resistiu. Um suspeito ainda não identificado também morreu.

— Ainda não conseguimos confirmar, mas há a informação de que eles estariam fazendo roubo em Seropédica e teriam roubado um estabelecimento em Austin, Nova Iguaçu — afirmou o delegado assistente Leandro Costa, da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense.

Os três criminosos seguiam num Honda Civic prata próximo à Praça Nossa Senhora da Conceição, em Queimados. Ao perceberem a blitz da Operação Lei Seca, desembarcaram e fugiram. Os policiais tentaram capturá-los. Além do sargento Anselmo Alves, o sargento Leandro Mendes, de 38 anos, também foi baleado, mas foi socorrido e seu quadro é estável.

Um dos bandidos foi morto. Com ele, foi apreendida uma pistola. O carro também foi apreendido. Dentro veículo, havia um lança-perfume. Após a troca de tiros, policiais que atuavam na operação pediram reforço ao 24º BPM (Queimados). Mateus Guimarães da Rosa, de 18 anos, foi preso. O terceiro bandido ainda não foi localizado.

Via Extra

NOVA IGUAÇU / QUEIMADOS - Ato reuniu dezenas de pessoas para marcar os 12 anos da morte de 29 pessoas em Nova Iguaçu e Queimados

Cerca de 70 pessoas participaram de um ato, na última sexta-feira, em memória da Chacina da Baixada, que completou 12 anos. A Caminhada em Defesa da Vida reuniu mães e familiares das vítimas e movimentos sociais. Os manifestantes refizeram na Rodovia Presidente Dutra o caminho dos policiais militares que assassinaram 29 pessoas em Nova Iguaçu e Queimados no dia 31 de março de 2005.

Em cada ponto onde houve a chacina, os manifestantes pararam e lembraram o nome da vítima. Logo depois, eles soltavam fogos.

A caminhada teve ainda ato ecumênico na Rua Gama, um dos locais onde as vítimas foram mortas. Representantes do candomblé, da umbanda, do catolicismo e do protestantismo participaram da iniciativa.

— Percorremos a Dutra, panfletamos. Foi uma forma de chamar a atenção da sociedade — ressaltou o coordenador do Fórum Grita Baixada, Adriano de Araújo.

As atividades para lembrar a data ocorreram ao longo da semana passada, quando foi realizado o seminário “Execuções ontem e hoje na Baixada”. Houve ainda uma exposição de fotos das atividades dos movimentos sociais que combatem a violência, com imagens da chacina e das vítimas.

— Há um trabalho de memória para dizer que isso continua. Com as atividades, a gente pensa em caminhos para intervir — diz Fransérgio Goulart, assessor político do Centro de Direitos Humanos.

Para Luciene Silva, de 51 anos, as atividades vão dar mais visibilidade a ações contra a violência. Ela integra a Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência e teve o filho de 17 anos, Raphael Silva Couto, morto na ação.

Luciene Silva é mãe de uma das vítimas da tragédia de 2005
No dia 31 de março, após beberem, os PMs seguiram em um veículo e assassinaram 17 pessoas em Nova Iguaçu e 12 em Queimados. Dos denunciados, os ex-soldados Carlos Jorge Carvalho e Júlio César Amaral de Paula e os ex-cabos José Augusto Moreira Felipe e Marcos Siqueira Costa foram condenados pelos homicídios, tentativa de homicídio contra o único sobrevivente e formação de quadrilha. O exsoldado Fabiano Gonçalves Lopes foi condenado a sete anos por formação de quadrilha e já cumpriu pena. O cabo Gilmar Simão foi morto em 2006. Todos foram excluídos da PM. Só o cabo Ivonei de Souza foi reintegrado e absolvido por falta de provas.

Via Jornal Extra
Caderno Mais Baixada